Primeiro eu, segundo eu, terceiro eu
By Cláudio

Primeiro eu, segundo eu, terceiro eu

Compartilhe

Muitas vezes, no intuito de agradar, acabamos vivendo exclusivamente em função do outro, para o outro, e pelo outro. Ao longo do tempo, muitos de nós, chegamos a triste conclusão de que essa atitude, além de anular a nossa vida, não obteve o reconhecimento que desejávamos. Precisamos acordar: quanto mais fazemos pelo outro, sem olhar para nós mesmos, mais somos esquecidos, desvalorizados e desrespeitados. Quem vive em função do outro, não vive e quem não vive está morto, e o que é pior, morto em vida.

Precisamos reencontrar a nossa vida, o nosso eu, reconhecer o nosso valor. Não existe outro caminho a não ser iniciarmos por nós mesmos. As pessoas respeitam aqueles que eles admiram. Quanto mais esquecemos de nós mesmos, mais somos esquecidos. Não somos valorizados pelo que fazemos para o outro, porque na visão dele isso soa como uma obrigação. Somos valorizados em primeiro lugar, por aquilo que somos, pelo que transmitimos, pela maneira como nos apresentamos.

Não há porque temer. Começar conosco não exclui o outro, nem o coloca em segundo plano. Nas relações humanos não precisa haver uma ordem, uma escala: primeiro eu, ou primeiro ele, mas um olhar para o conjunto. Se olharmos em primeiro lugar para o outro, ficamos para traz, perdemos nossa identidade, tornamo-nos invisíveis. Por outro lado, se nos colocarmos em primeiro plano, podemos nos tornar egoístas.

É plenamente possível dar atenção, fazermos o nosso melhor em relação aqueles que amamos, e ao mesmo tempo cuidar, dar atenção e fazermos o nosso melhor para conosco. Podemos amar o outro, sem precisar deixar de nos amar. Percebam que uma atitude não exclui a outro?

Quando eliminamos as escalas do primeiro eu, ou primeiro o outro, trabalhamos o conjunto, o todo. Valorizamos as relações que é superior ao individual. Fortalecemos os vínculos afetivos, e assim torna-se possível respeitarmos ao mesmo tempo em que cobramos e exigimos respeito, e com isso podemos adotar a ideia de que primeiro nós, segundo nós, terceiro nós.

Celso Garrefa

  • No Comments
  • Setembro 30, 2023
× Como posso te ajudar?