Codependência: “Cala a boca Magda”
By Cláudio

Codependência: “Cala a boca Magda”

Compartilhe

Este chavão se tornou popular num programa de humor chamado “Sai de baixo”. Caco Antibes, o marido da Magda era um canastrão, malandro e muito preconceituoso. Nos dias de hoje seria processado por machismo e tantos outros chavões racistas e xenofóbicos.

Mas longe de discutir estes preconceitos, gostaria de chamar a atenção de como o “cala a boca Magda” pode ajudar um(a) codependente. No desespero da família codependente, seus membros tentam através da fala mostrar ao seu ente querido que está vivendo uma experiência na adicção os riscos deste uso. Fazemos verdadeiras “palestrinhas” neste intuito e, infelizmente, sem muito proveito.

Precisamos então aprender com este chavão: “Cala a boca codependente!”. O dependente químico na ativa (não somente sobre o efeito da droga), não está em condições emocionais e cognitivas capazes de focar nas nossas falas.

Além disto, o codependente afundado na sua doença emocional e física, muitas vezes, também não tem condições nem de falar e nem de ouvir. Não por incapacidade cognitiva como a personagem “Magda”, mas sim pelo seu sofrimento psíquico.

Qual a saída então? Ouvir mais e falar menos. Agir mais e falar menos. Escutar mais e falar menos. É silenciar mais e falar menos. É orar mais e falar menos.

Segundo os especialistas, a comunicação humana possui 55% é a nossa expressão corporal, 38% do tom de voz e apenas 7% é o conteúdo das palavras. Assim, podemos concluir que é possível “falar muito” com o nosso comportamento.

Assim, o silêncio também é terapêutico. O silêncio produz reflexões. Estabelecer limites e fixar as consequências é uma saída. O problema é como silenciar a fala se estamos explodindo por dentro com tantos sentimentos negativos? Tristeza, raiva, angústia, ansiedade, depressão, insônia, irritabilidade, agressividade, medo, decepção, etc..

“Cala a boca Magda” também nos ajuda a agir ao invés de ficar reagindo às provocações do outro. No nosso silêncio, podemos encontrar respostas mais claras e objetivas, possuindo um poder maravilhoso de mudar a sua vida e das suas relações interpessoais.

“Cala a boca codependente” pode te ajudar a sair da codependência. Além disto, o seu silêncio pode provocar uma reflexão no outro, produzindo assim mudanças muito positivas.

Por tudo isto que nós, familiares codependentes, precisamos buscar tratamento. Temos que falar de tudo isto nos grupos de apoio e em psicoterapia. Saber com quem falar para esvaziar esta angústia para só assim terá condições de produzir mudanças efetivas e eficazes.

Cláudio Martins Nogueira – Psicólogo Clínico – Especialista em D.Q.

  • No Comments
  • Junho 21, 2023
× Como posso te ajudar?