Até o Rio Hudson
By Cláudio

Até o Rio Hudson

Compartilhe

Há alguns anos fiquei preso em um ônibus cruzando a cidade de Nova York durante a hora do rush. O tráfego mal estava se movendo. O ônibus estava cheio de pessoas frias e cansadas que estavam profundamente irritadas umas com as outras, com o próprio mundo. Dois homens latiram um para o outro sobre um empurrão que pode ou não ter sido intencional. Uma mulher grávida subiu e ninguém lhe ofereceu um assento. A raiva estava no ar; nenhuma misericórdia seria encontrada ali.

Mas, quando o ônibus se aproximou da Sétima Avenida, o motorista pegou o interfone:

– ‘Gente’, disse ele, ‘Eu sei que vocês tiveram um dia difícil e estão frustrados. Não posso fazer nada sobre o clima ou o trânsito, mas aqui está o que posso fazer. Quando cada um de vocês descer do ônibus, estenderei minha mão para vocês. Enquanto você passar, coloque seus problemas na palma da minha mão, certo? Não leve seus problemas para casa, para suas famílias esta noite, apenas deixe-os comigo. Meu caminho passa direto pelo rio Hudson, e quando eu passar por lá mais tarde, abrirei a janela e jogarei seus problemas na água. ‘

Foi como se um feitiço tivesse se dissipado.
Todos começaram a rir. Os rostos brilharam de surpresa e deleite. Pessoas que vinham fingindo na última hora não perceberem a existência um do outro de repente estavam sorrindo um para o outro:
“Como, esse cara está falando sério?”

Oh, ele estava falando sério.

Na próxima parada, conforme prometido, o motorista estendeu a mão com a palma para cima e esperou. Um por um, todos os passageiros que saíam colocavam suas mãos logo acima da dele e imitavam o gesto de deixar algo cair em sua palma.
Algumas pessoas riram enquanto faziam isso, outras choraram.

O motorista também repetiu o mesmo adorável ritual na próxima parada.
E a próxima. Todo o caminho até o rio.

Você anseia pela luz, mas não sabe onde encontrá-la.

Mas, e se você for a luz?

E se você for o próprio agente de iluminação que uma situação escura implora?

Isso é o que esse motorista de ônibus me ensinou, que qualquer um pode ser a luz, a qualquer momento.

Quando a vida parece especialmente sombria ou quando me sinto particularmente impotente em face dos problemas do mundo, penso nesse homem e me pergunto:
O que posso fazer, agora, para ser a luz?

Não importa quem você seja, ou onde esteja, ou quão mundana ou difícil sua situação possa parecer, eu acredito que você pode iluminar o seu mundo.

Na verdade, acredito que esta é a única maneira pela qual o mundo será iluminado: um brilhante ato de graça de cada vez.
Até o rio Hudson.

Autor desconhecido

  • No Comments
  • Maio 19, 2023
× Como posso te ajudar?