A liberdade
By Cláudio

A liberdade

Compartilhe

Liberdade, muitas vezes, significa se despedir de laços emocionais que já não fazem sentido.
Afinal, nem tudo que você sente corresponde à verdade. Emoções são traiçoeiras.
Quando estamos ansiosos, o mundo nos aparenta ameaçador. Quando estamos alegres, o mundo nos parece acolhedor.
Quando desejamos algo (ou alguém), nossa visão de mundo pode ser distorcida por esse desejo.
Por amor, investimos dedicação e energia em pessoas que não merecem nosso carinho. Entregamos confiança e respeito, para, em troca, receber descaso. A carência (que é um tipo de desejo) pode criar afetos imaginários.
Emoções nos fazem projetar no mundo interpretações que, na verdade, nada mais são do que reflexo do nosso estado interno atual. Nem tudo que você sente deve ser encarado como fato. Como disse Goethe, “O ser humano vê no mundo aquilo que carrega no coração”.
Pelo bem da sua saúde emocional, aprenda a se despedir de laços emocionais que já não fazem sentido.
Pedro Calabrez.

Meu comentário:
Muitas vezes os vínculos que construímos ao longo da vida têm como motivação nossas carências afetivas. Assim, nos conectamos ao outro que idealizamos e não ao outro real. Quando isto acontece, a frustração aparece com frequência e a sensação que o outro me enganou é recorrente.
Precisamos deixar de idealizar o outro e olhá-lo como ele de fato o é, com suas qualidades e imperfeições. Se mesmo assim, esta relação tem ganhos mútuos, devemos continuar. Ao contrário, devemos partir.

Cláudio Martins Nogueira – Psicólogo Clínico

  • No Comments
  • Maio 13, 2023
× Como posso te ajudar?