Drogas e dependência espiritual
By Cláudio

Drogas e dependência espiritual

Compartilhe

Nas edições anteriores escrevemos sobre “drogas e dependência física” e “drogas e dependência psíquica”, “drogas e dependência emocional”. “drogas e dependência social”. Nesta edição vamos discorrer sobre outro aspecto da dependência química: A dependência espiritual.
Vale ressaltar que o viés espiritual não tem fundamentação científica, mesmo porque a espiritualidade e a existência de Deus ainda não têm comprovação pela ciência. Mas não podemos negar a importância da espiritualidade no processo de recuperação de um dependente químico, ou melhor, na própria existência humana na terra em todos os tempos.
A experiência com as substancias psicoativas possui um fundo espiritual, ou melhor, um aspecto transcendental no sentido de transcender a própria condição do humano, ou seja, um sujeito provido de uma falta, de um vazio existencial e uma sensação constante de uma incompletude.
É exatamente esta realidade humana que o impele para algo além dele mesmo. Desde o tempo das cavernas é possível verificar esta busca incessante de um Poder Superior para amenizar esta dor de existir e dar um sentido para a própria vida.
Da mesma maneira, a experiência com as drogas nada mais é do que uma forma de viver esta experiência transcendental capaz de amenizar sua dor e possibilitar um estado emocional não faltante..
A experiência do adicto com sua droga de preferência traz isto quase que de imediato. O adolescente com seus conflitos inerentes da sua idade, ao fumar um baseado, sente que seus problemas acabaram. A sensação prazerosa da substancia, o sentimento de pertencer a um grupo social dos iguais diminui drasticamente aquilo que Freud chamou de “Mal estar da civilização”, em outras palavras, a dor de existir.
O problema do objeto droga é que em poucas horas ou dias ele sai da mente e do corpo do usuário e, aquele mal estar se apresenta novamente, acompanhado de ressacas moral e física. Esta sensação ruim vai alimentar o desejo de mais drogas, fechando o ciclo da adicção.
É exatamente neste contexto que podemos afirmar que o dependente químico está procurando Deus no lugar errado. O adicto possui também uma dependência espiritual da droga. Ele precisa dela para se sentir completo.
Este fato nos explica que a grande maioria dos grupos anônimos, de ajuda mútua e as Comunidades Terapêuticas possuem o viés da espiritualidade. A ideia do Poder Superior conforme o sujeito o concebe vem de alguma forma substituir as drogas.
Me lembro uma certa vez um residente da Fazenda de Caná ao receber a Bíblia depois de nove meses de internação falou uma frase que me marcou profundamente:
“Se eu preciso ser dependente de alguma coisa, que eu seja dependente de Jesus e dos grupos de apoio e não das drogas”
Vale ressaltar que a espiritualidade significa uma intimidade com o Poder Superior, não necessariamente uma religiosidade.

Claudio Martins Nogueira – Psicólogo Clínico – Especialista em dependência química

  • No Comments
  • Agosto 10, 2022
× Como posso te ajudar?