A moldura
By Cláudio

A moldura

Compartilhe

Certa vez, conversando com um residente da Fazenda de Caná, aprendi uma grande lição que acredito ser importante compartilhar com todos os nossos leitores.

O referido residente estava trabalhando na sala de molduras quando o padre Oswaldo (idealizador e fundador da fazenda) chegou de surpresa n sala e encontrou o jovem assentado aparentemente não fazendo nada.

Imediatamente perguntou ao jovem:

– você não está trabalhando? Por que está aí sem fazer nada?

O jovem com a serenidade adquirida com alguns meses de internação, respondeu:

– não, padre, estou esperando a cola secar.

Ao relatar este fato, este jovem em seguida faz uma pequena reflexão sobre esta frase:

“estou esperando a cola secar”.

Para ele, há momentos na vida que não podemos fazer mais nada além de esperar, tudo tem seu tempo e sua hora. É preciso muitas vezes deixar as coisas acontecerem naturalmente. Ficar ansiosos, estressados e angustiados só vai atrapalhar a “moldura” tendo que começar tudo novamente.

A virtude da paciência deve ser cultivada com frequência, afinal, saber esperar é uma arte e fazer no momento lento é a obra do artista.

Para construir a “moldura” da nossa vida temos que esperar a cola secar, as experiências cicatrizarem, a semente nascer.

Como diz o poeta: “não apresse o rio… Ele tem a sua própria correnteza”.

Cláudio Martins Nogueira – Psicólogo clínico

  • No Comments
  • Novembro 13, 2021
× Como posso te ajudar?