Conquistando a confiança dos codependentes
By Cláudio

Conquistando a confiança dos codependentes

Compartilhe

1 – Não minta mais: A grande maioria dos dependentes químicos, na medida em que foi desenvolvendo sua doença, foi agregando vários defeitos de caráter, dentre eles, a famosa mentira. Ao longo de muitos anos, seus familiares e demais pessoas dos seus ambientes sociais foram ficando calejados com tantas mentiras. São tantas promessas, histórias e manipulações que os codependentes vão demorar a acreditar no discurso dos adictos.
O dependente deve levar em consideração que seus familiares também foram adoecendo juntos com ele. Especialmente o dependente que passou por um processo de tratamento residencial (CT’s e Clínicas Terapêuticas) durante meses, devem compreender que os familiares continuaram suas vidas aqui fora trabalhando, pagando suas contas e mantendo o adicto exclusivamente por conta do tratamento. Assim, o tratamento da família codependente, com raríssimas exceções, baseia em algumas horas de reuniões semanais, portanto, muitas vezes, insuficientes para a recuperação plena destes familiares. Por isto, é muito normal a desconfiança dos mesmos, especialmente nos primeiros meses após a internação;
2 – Seja transparente nas suas atitudes: O dependente, ao sair de um regime de tratamento residencial, deve ser muito transparente nas suas falas e atitudes. Avisar os familiares onde está indo e com quem dá uma certa segurança para os familiares. Caso atrase nos seus compromissos, é importante comunicar via mensagem ou telefone. Se o dependente continuar com o hábito de antigo do “vou ali” e desaparece, isto gera uma desconfiança enorme em todos os codependentes, podendo provocar recaídas emocionais nos familiares que com certeza será causa de muitos conflitos desnecessários.
3 – Mantenha-se em tratamento: Esta atitude é muito importante por vários motivos. Em primeiro lugar porque no tratamento você tem a oportunidade de trabalhar questões emocionais, sociais, mentais e afetivas que muitas vezes num regime de residência não foi possível. Em segundo lugar, você tem uma chance de ajudar outras pessoas na mesma situação sua, ou seja, colocar em prática o 12º passo do AA. E por último, buscando o tratamento você contribui com o aumento do grau de confiança da família e da sua autoconfiança.
4 – Fique atento com quem você anda e por onde anda: Se você, ao sair de uma internação, volta a frequentar os mesmos ambientes e continua saindo com as mesmas pessoas da ativa, dificilmente sua família vai acreditar na sua sobriedade. Além disto, você vai sempre ficar exposto a uma situação de risco. Com o tempo, a recaída é quase inevitável. O contrário também é verdadeiro, ou seja, bons lugares e pessoas vão contribuir pelo aumento da confiança dos seus familiares.
5 – Foque no trabalho e nos estudos: Se você consegue desenvolver hábitos saudáveis, estabelece uma agenda positiva durante todo o dia, com certeza, você jamais vai precisar pedir para sua família confiar em você. Isto vai acontecer naturalmente.
6 – Evite ficar ocioso: A ociosidade incomoda quem trabalha. Como diz o ditado popular: “mente vazia é oficina do diabo”. A procrastinação e a preguiça aumenta a desconfiança dos codependentes. O contrário diminui.
7 – Paciência, muita paciência com os codependentes: Durante um bom tempo a família vai sempre desconfiar das suas mudanças, afinal, ela tem motivos de sobra para desconfiar de você. Lembre-se: você fez um tratamento muito mais consistente do que sua família. Chegou a hora de você ajudar sua família.

Cláudio Martins Nogueira – Psicólogo Clínico

  • No Comments
  • Novembro 9, 2021
× Como posso te ajudar?