Quem semeia vento colhe tempestade
By Cláudio

Quem semeia vento colhe tempestade

Compartilhe

No mesmo sentido do famoso ditado “quem planta colhe”, nos chama a atenção para a ele da causa e efeito. Segundo esta lei, todo efeito tem no seu princípio uma causa. Partindo deste pressuposto ao invés de gastarmos a energia lamentando os efeitos, é necessário focar em combater a causa.

O princípio é muito simples e claro. Ele parece simplificar muito as coisas do mundo. Mas na prática, a complexidade da vida humana, ou melhor, da vida e da natureza são muito mais complexas. Para entendermos melhor isto, vamos pontuar alguns aspectos muito importantes:

  • – Muitas vezes um efeito tem infinidades de causas;
  • – Outras vezes uma causa tem infinidades de efeitos;
  • – Na maioria das situações é quase impossível fazer um diagnóstico de quais são estas causas de determinados efeitos;
  • – Fato recorrente que absorvemos efeitos de causas provocadas por outras pessoas;
  • – Se entrarmos nas questões filosóficas, sociais e religiosas, a complexidade desafia a inteligência humana e caímos no campo dos mistérios da vida sem respostas convincentes.

Assim, quem semeia vento nem sempre colhe tempestade. O contrário também é verdadeiro, ou seja, quem colhe tempestade as vezes não plantou ventos. Exemplo clássico disto é quando uma família se depara com um dos seus membros afundados nas drogas. Quantos “ventos” o dependente provoca no lar trazendo como consequências verdadeiros tsunamis em todos os membros da família. É verdade que com o tempo, o dependente também vai ser acometido por esta tempestade.

Enfim, apesar de tantas ressalvas é fato que este ditado tem fundamento e que precisamos ficar atentos ao que estamos semeando. Um dia, mais cedo ou mais tarde, chegará o dia da colheita.

Pensem nisto meus caros leitores.

Cláudio Martins Nogueira – Psicólogo Clínico

  • No Comments
  • Dezembro 20, 2020
× Como posso te ajudar?