Não, não estou envelhecendo
By Cláudio

Não, não estou envelhecendo

Compartilhe

“Você está envelhecendo, eles me disseram, você deixou de ser você, está ficando amargo e solitário”.

-Eu não respondi.

Não estou envelhecendo, estou ficando sábio.

Deixei de ser o que os outros gostam de ser para ser o que eu gosto de ser, parei de procurar a aceitação dos outros para me aceitarem, deixei para trás os espelhos mentirosos que enganam sem piedade.

-Não, não estou envelhecendo.

Estou me tornando assertiva, seletiva de lugares, pessoas, costumes e ideologias.

Abandonei apegos, dores desnecessárias, pessoas tóxicas, almas enfermas e corações podres, não é por causa da amargura, é simplesmente pela saúde.

Parei de viver histórias e comecei a escrevê-las, deixei de lado os estereótipos impostos. Parei de trazer maquiagem na bolsa e agora carrego um livro que embeleza minha mente.

Troquei taças de vinho por taças de café. Eu deixei de idealizar a vida e comecei a vivê-la.

Não, não estou envelhecendo.

Levo na alma o frescor e no coração a inocência de quem se descobre a cada dia.

Carrego nas mãos a ternura de um casulo que, ao se abrir, vai expandir suas asas para outros lugares inacessíveis para quem busca apenas a frivolidade do material.

Tenho um sorriso no rosto, que escapa maliciosamente ao observar a simplicidade da natureza, carrego nos ouvidos o chilrear dos pássaros alegrando o meu andar.

Não, não estou envelhecendo.

Estou me tornando seletivo, apostando meu tempo no intangível. Estou reescrevendo a história que um dia me foi contada, redescobrindo mundos, resgatando aqueles livros antigos que eu tinha meio esquecido.

Estou ficando mais cauteloso, parei as explosões que nada ensinam, estou aprendendo a falar de coisas transcendentes, estou aprendendo a cultivar o conhecimento, estou semeando ideais e forjando meu destino.

Não, não é que esteja envelhecendo de dormir cedo aos sábados, é que aos domingos também tenho que acordar cedo, tomar um café sem pressa e ler com calma uma coleção de poemas.

Não é pela velhice que se caminha devagar, é para observar a falta de jeito de quem anda com pressa e tropeça no descontentamento.

Não é por causa da idade que as pessoas às vezes ficam em silêncio, é simplesmente porque nem todas as palavras precisam ser ecoadas.

Não, não estou envelhecendo, estou começando a viver o que realmente me interessa.

Fonte: internet: Eu e a Vida Page

  • No Comments
  • Novembro 15, 2020
× Como posso te ajudar?