Releitura “Metamorfose ambulante”
By Cláudio

Releitura “Metamorfose ambulante”

Compartilhe

Eu não quero ser essa metamorfose ambulante

Prefiro não mudar e ser como antes,

Quero ter as mesmas ideias e objetivos que eu tinha antes

Minha única opinião e a vida que levava sempre adiante

 

Eu quero ter a mesma convicção que eu tinha antes

Nunca quis ser essa metamorfose ambulante

Mas do que vale hoje, essa vida que eu tinha antes? Antes?

Não ter uma opinião formada sobre tudo

 

Sobre quem eu sou? Que mundo estou? Para onde vou?

Se já tive vergonha, ela já se apagou

Se antes eu mentia, a pura verdade aqui restou

Eu aceito quem sou

Eu sei quem eu sou

Meu comportamento mudou

Amém, aqui estou!

 

Que bom que meus objetivos não são como antes,

Que minha vida é completamente diferente da de antes

Sim, eu quero e preciso ser essa metamorfose ambulante

Traumas, riscos, ganhos e experiências importantes

Que me fazem enxergar a minha vida como a junção de vários instantes

E agradecer a Deus por nada ser como antes

Eu aceito e prefiro ser essa metamorfose ambulante

Luís Henrique

Meu comentário:

Não conseguiremos sair da condição que nós estamos hoje se ficarmos presos as nossas crenças e opiniões formadas sobre tudo. O mundo está cada vez mais dinâmico e nós temos que nos adaptar a estas mudanças.

Raul Seixas coloca isto de maneira incrível usando a metáfora da metamorfose ambulante. A transformação do lagarto em uma linda borboleta é muito sugestiva para exemplificar isto. Um movimento de isolamento num casulo. Um processo de reflexão profundo e o manejo doido de suas emoções e sentimentos são necessários.

Além disto, a coragem de ir à busca do novo, o desapego do antigo e o sonho de construir dias mais ensolarados. A decisão de fazer novas escolhas, de mudar os amigos, de buscar ambientes mais saudáveis e se aventurar em busca de um Poder Espiritual muito além da inteligência humana.

O homem “velho”, tradicional e cheio de maus hábitos e vícios ficam batendo à porta. Fica sempre de prontidão esperando uma oportunidade de invadir nossa alma novamente, dominar nossa mente, nossos pensamentos, comportamentos e hábitos. Uma luta diária entre a dor conhecida do passado e a novidade desconhecida do futuro. Não temos outra saída. Para chegar em um novo destino, temos que abandonar o local onde estamos hoje.

O nosso trabalho é esse….ser sempre uma metamorfose ambulante!

Cláudio Martins Nogueira.- Psicólogo clínico

  • No Comments
  • Julho 22, 2020
× Como posso te ajudar?