Retornos inesperados  Paralelas que se cruzam
By Cláudio

Retornos inesperados Paralelas que se cruzam

Compartilhe

Quando comecei ler o livro “O Outro Lado da Droga”, eu me deparei com esse título que me fez refletir muito.

Eu já estava fazendo parte de um grupo do qual ainda estou e sou muito grata a ele. Até nesse momento eu pensava que o doente era só meu ente querido.  Porém, depois de ler e de ser atendida em  algumas sessões, eu  fui  entendendo  que estava doente.  E que as minhas loucuras eram bem antes de me casar. Vim de um lar totalmente disfuncional e que esta criação estava tendo reflexos até hoje.  Só então que caiu a ficha e entendi que só haveria mudanças no quadro da minha vida se eu mudasse a forma de agir. Refleti sobre o meu comportamento e comecei a olhar para dentro de mim. Com coragem e com amor eu comecei a me perdoar pelo meu passado.

Assim eu vi que muito que eu errei foi porque eu não me enxergava como alguém que seria capaz de escrever sua própria história.  Eu vivia como um Zumbi, vivendo por viver. Eu fui descobrindo diversos defeitos de caráter, que precisavam ser conservados.  Mas também eu observava em mim muitas virtudes enterradas.  Guardei uma frase do dr. Cláudio: “Foca  no seu tratamento.” Mas não é fácil olhar para dentro de si, isto  demanda muita coragem da gente. Mas também eu trago no peito uma frase, essa de Jesus: “O Reino de Deus é tomado por esforço”.

Somente os que se esforçam entram no Reino. Foi aí que eu entrei no barco da mudança e como consequência meu ente está em tratamento também. Uma mudança de vida significativa.  E hoje tanto ele como eu estamos muito felizes e agradecidos a Deus, ao grupo de apoio do Barreiro e ao psicólogo Cláudio Martins Nogueira por este livro maravilhoso que nos ajudaram a promover as nossas mudanças. Mudar não é tarefa fácil, mas é um crescimento espiritual, emocional e profissional de cada um.  Por isso são tratamentos diferentes, ou seja, paralelos que em um determinado momento se cruzam e o milagre da sobriedade acontece.

Kátia

  • No Comments
  • Dezembro 8, 2019
× Como posso te ajudar?