Cavalo dado não se olha os dentes
By Cláudio

Cavalo dado não se olha os dentes

Compartilhe

Ditado muito popular no interior de Minas, ele nos convida a pensar que se eu estou ganhando alguma coisa não devo ter nenhuma exigência. Normalmente, o fazendeiro cuidadoso com seus negócios quando vai comprar um cavalo, ele precisa olhar o estado de saúde do mesmo, inclusive olhar os dentes.

Segundo este ditado, se o cavalo é doado não devemos ter este nível de exigência. Qualquer animal serve. Esta ideia me remete a outro ditado que diz: “De graça até injeção na testa”.  Em algumas situações acredito que isto é válido, porém na grande maioria podemos entrar numa grande “furada” como diz a gíria.

Suponhas que você ganhe um cavalo que, além de ter problemas dentários, esteja com problemas de saúde grave e que não terá condições de trabalhar para você, além de proporcionar despesas altas com cuidados veterinários. Não vai demorar muito para você perceber que na verdade ele foi um presente de “grego”, uma referência ao Cavalo de Troia doado pelos gregos.

Outro ditado que contradiz este é o famoso “Quando a esmola é muito até o Santo desconfia”, ou seja, até aquilo que nos é doado temos que ter o cuidado de ganhar.

Exemplo clássico disto é a escolha de uma Comunidade Terapêutica para internar um familiar dependente. Muitas vezes a família opta por aquela mais barata ou gratuita, sem levar em consideração os serviços prestados pela mesma. Os riscos de se arrependerem no futuro são enormes.

Assim, mesmo o cavalo dado deve-se olhar os dentes. Fica aí a lição do mês.

  • No Comments
  • Dezembro 7, 2019
× Como posso te ajudar?