Papo de maconheiro – Parte 2
By Cláudio

Papo de maconheiro – Parte 2

Compartilhe

Nesta edição vamos Continuar a nossa reflexão sobre mais argumentos utilizados pelos dependentes de maconha:

Argumento n: 03 – A maconha é menos prejudicial do que o álcool e o cigarro de nicotina:

Nos anos 2000 alguns estudos da Organização Mundial de Saúde chegou a divulgar esta constatação. Comparados com os malefícios físicos do álcool e do cigarro sem sombra de dúvidas a maconha prejudica menos o nosso corpo do que estas drogas. Um detalhe importante: “PREJUDICA”.

Outra observação importante a fazer é que o ser humano não é só um corpo. Nós somos seres providos de sentimentos, inteligência, emoções e relacionais, ou seja, vivemos em sociedade. Considerando estes aspectos da natureza humana é possível constatar que a maconha comparada ao cigarro é ao álcool é muito mais prejudicial. A maconha provoca no seu dependente uma apatia generalizada, uma desmotivação pela vida e um isolamento social com a família e com a sociedade como um todo. Seu ciclo de amizade é restrito aos usuários da droga.

Estudos em todo o mundo já constataram que a maconha pode facilitar surtos de esquizofrenia, doença mental grave que não tem cura e de difícil tratamento. Além disto, quadros clínicos como depressão, ansiedade, síndrome do pânico e tantos outros é mais comum nos dependentes de maconha.

Sua capacidade laboral e de estudos fica comprometida e o processo de amadurecimento psíquico se torna mais lento. Outro fator pouco falado em relação a maconha é que com o desenvolvimento tecnológico hoje existe a maconha transgênica, com alto teor de THC que possui o nome comercial de Skank capaz de lesar o Sistema Nervoso Cerebral muito mais rápido do que a maconha natural dos anos 70.

Para piorar a situação, com a popularização do consumo desta droga, cada vez mais os adolescentes e jovens começam a fazer o uso da maconha mais cedo, afetando diretamente o cérebro ainda em desenvolvimento, podendo trazer sequelas pelo resto e de suas vidas e quadros graves de dependência.

 

Argumento n: 02 – A maconha precisa ser legalizada, vários países já fizeram isto:

Esta afirmativa é desprovida da verdade. Na prática a grande maioria dos países em todo o mundo proíbe o consumo desta droga. Atualmente temos 31 países que legalizou o consumo, sendo doze deles apenas descriminalizou o uso. O plantio e o comércio continuam proibidos. Além disto, mais 29 países regulamentou o uso medicinal da planta. Nos EUA somente quatro Estados (Alasca, Oregon, Colorado e Washington) adotaram uma política de legalização desta droga.

É importante ressaltar que no Brasil o plantio, o comércio e o uso de maconha são proibidos. Assim nada adianta o argumento que em outro é liberado, afinal, nós moramos no Brasil e devemos obedecer às leis dele.

Legalizar a maconha no Brasil vai ser um caus. Um país continental que apenas 4% da população conseguem formar num curso superior e que tem problemas básicos a serem resolvidos e praticamente não existe fiscalização no consumo ilegal do álcool e do cigarro pelos adolescentes, dificilmente vai conseguir fiscalizar o consumo de maconha.

Continua na próxima edição.

Obs.: acompanhe este tema também no nosso canal do Youtube:

CRIARTVIDA: O CANAL DA SOBRIEDADE – Série: Papo de maconheiro

e no site jornalcriartvida.com.br

  • No Comments
  • Dezembro 2, 2019
× Como posso te ajudar?