As consequências do limite do horário
By Cláudio

As consequências do limite do horário

Compartilhe

Estabelecido os horários do bom funcionamento da organização familiar é necessário a gente pensar nas possíveis consequências do não cumprimento dos mesmos. É quase certo que isto vai ocorrer. De maneira inconsciente, o dependente vai testar os limites. Não deixa de ser uma disputa pelo poder familiar.

Enquanto esta situação persistir não haverá espaço para tratamento. Nada adianta estabelecer o limite de horário sem deixar claras as consequências do descumprimento da regra. Além disto, os familiares devem estar convictos e dispostos a coloca-las em prática assumindo todos os riscos inerentes a esta iniciativa.

Vão aqui algumas dicas de consequências, lembrando sempre que os pais devem estar minimamente preparados para cumpri-las:

  • – Os pais devem deixar claro que se chegar depois do horário pré-estabelecido, o filho não vai entrar em casa ou só depois do horário que os pais vão levantar para o trabalho.
  • – Os pais podem abrir exceções se forem comunicados com antecedência e de acordo com o local e o dia do evento;
  • – Se o descumprimento dos horários persistirem, os pais devem estabelecer consequências mais rigorosas como, por exemplo, não deixar o filho entrar no dia subsequente ao fato. Assim, ele terá dificuldades para achar um local para dormir;
  • – Caso o dependente insistir na campainha ou interfone, os mesmo serão desligado e se começar a incomodar a família e os vizinhos não vai sobrar outro recurso a não ser chamar alguma autoridade maior para garantir a imposição destas consequências;
  • – E por último, mesmo que estas consequências não surtirem efeito, a família deve se preparar para o confronto, ou seja, estabelecer prazos para que o dependente faça a escolha entre obedecer às normas da casa ou procurar algum lugar para morar, lembrando sempre que a casa estará aberta para ele quando precisar do tratamento e estiver disposto a obedecer as normas da família;

Somente assim será possível o resgate da autoridade familiar e o início do tratamento. Caso a família não consiga implementar estas medidas só resta a mesma intensificar o próprio tratamento com mais estudos, reuniões e terapias.

Fica aí as dicas.

  • No Comments
  • Outubro 2, 2019
× Como posso te ajudar?