Drogas: o mito da ratolândia
By Cláudio

Drogas: o mito da ratolândia

Compartilhe

Recentemente recebi um vídeo no whatssap muito bem feito baseado num movimento americano de alguns ditos especialistas em dependência química. Este movimento tem como pano de fundo o interesse na legalização de todas as drogas, ou seja, a finalidade é mostrar que o maior problema do consumo das drogas não esta nelas, mas sim, no tráfico delas e na sociedade. Legalizando uma boa parte deste problema estaria resolvido.

A experiência em questão resumidamente foi a seguinte:

– Colocaram alguns ratos em uma gaiola experimental e colocaram dois potes de água, em um dos potes foi adicionada uma pequena quantidade de morfina. Nesta gaiola não existia nenhuma alternativa de lazer e diversão para estes ratos.  Após alguns dias, a grande maioria dos ratos ficou dependente da morfina.

– O mesmo experimento foi feito, porém nesta gaiola foram construídos vários atrativos para os ratos, túneis, bolinhas, escorregadores, cheiros, etc. Uma verdadeira ratolândia onde eles poderiam interagir e divertir. No mesmo período, poucos foram os ratos que ficaram dependentes da droga.

De maneira simplista, o psicólogo chega a afirmar categoricamente que o problema era a gaiola, ou seja, por ter nada para fazer, o tédio levou os ratinhos a desenvolverem a dependência. Desta maneira, a droga, no caso a morfina, não era o problema.

O psicólogo responde um questionamento: Isto não pode ser aplicado aos seres humanos. Nós não somos ratos. Para responder a isto diz:

– Os soldados americanos na guerra do Vietnam fizerem uso de drogas durante a guerra.  Ao retornarem para suas casas e famílias, apenas 5 % se tornaram dependentes. A grande maioria abandonou o uso das drogas.

Diante destes fatos cabem algumas considerações:

1 – A dependência química é uma doença biopsicossocial, ou seja, ela tem aspectos biológicos (predisposição orgânica), psico (mental e emocional de cada sujeito) e social (a ratolândia), além do aspecto espiritual (para aqueles que acreditam nisto).

2 – Ao longo dos 28 anos trabalhando com dependentes de drogas, já vi muitos dependentes de drogas que tinham várias “Ratolândias” incríveis e que não foram suficientes para ele abandonar as drogas;

3 – Estudos em todo o mundo comprovam que cerca de 5% a 10% das pessoas que experimentam e fazem uso social das drogas vão desenvolver a dependência. A conclusão do psicólogo em relação aos soldados americanos é no mínimo tendenciosa;

4 – Construa uma “Ratolândia” pro seu filho dependente de crack que ele vai “tretar” tudo que tem lá;

5 – Nunca devemos menosprezar o poder viciante de uma substância psicoativa. As consequências deste erro para a família, para a sociedade e para o país podem ser fatais;

Levando em consideração tudo isto não é difícil concluir que, apesar de ser um experimento científico, ele está sendo usado com finalidades políticas, se tornando assim um grande mito. Afirmações simplistas para problemas complexos. Muito cuidado com isto.

Cláudio Martins Nogueira – psicólogo clínico

  • No Comments
  • Maio 1, 2019
× Como posso te ajudar?